Translate

venerdì, novembre 05, 2010

Histórias Coloradas 3

Ontem foi uma daquelas noites que guardarei com carinho na memória!

Aconteceu, na feira do livro de Porto Alegre, o lançamento do livro "Histórias Coloradas 3". A noite de autógrafos foi espetacular e eu estava lá.

O livro foi escrito por 50 sócios colorados (eu fui uma), escolhidos via concurso no site do Inter, mais 50 colorados famosos, dentre jogadores, ex jogadores, artistas, jornalistas, dirigentes e outros amantes do clube.

Sai de Araranguá depois das 15h e segui para Porto Alegre levando minha irmã e mais duas amigas (uma pena que meu maridão coloradasso não pode me acompanhar por causa do trabalho, mas ele estava comigo no coração). Chegamos pouco antes da 19h e fomos direto para a feira, demos uma voltinha e seguimos até o Memorial do RS, onde seria o evento.

Lá, comprei meu livro e fui procurar a organização. Depois da identificação esperamos os "famosos" chegarem para iniciar a sessão.


Na mesa de autógrafos


A fila de colorados querendo um autógrafo era enorme, tudo muito bem organizado pelo Aleco e Cia. Um a um os colorados passavam na mesa recebendo o autógrafo dos escritores.

Eu e mais alguns dos sócios colorados participantes do livro estávamos entre os famosos autografando nossas histórias. Tenho certeza de que para eles, assim como para mim, foi uma noite inesquecível, nos sentimos realmente parte da história do clube, e os colorados que pediam autógrafos, não nos ignoraram, faziam questão de nossa assinatura assim como a dos ícones ali presentes.

Foi lindo!

Autografando ao lado de Thedy, Giuliano e Luiz Antônio



Ali estavam, o diretor de marketing do Inter Jorge Avancini, os organizadores Aleco Mendes, Adriana Montes e Luiz Antonio Barbará, o jogador Giuliano, o ex goleiro Manga, o músico Tedy Corrêa, o folclorista Paixão Cortês e sua esposa, o jornalista Telmo Zanini, a atriz Ingra Liberato, os ex jogadores Pinga e Milton Vergara, a figuraça Carlos David Parizzoto da Silva o fanático colorado e alguns de nós sócios colorados que tiveram sua história publicada.


A sessão durou cerca de duas horas. Saímos de lá e pegamos o caminho de casa, chegamos as 2:30 da madruga, bate e volta, viagem cansativa mas feliz, valeu muito a pena!



Com minhas amigas e parceiras de viagem

Me achando!

Jorge Avancini e Thedy

A elite da mesa

Eu e Giuliano (muito simpático)

O querido Luiz Antonio Barbará

Autografando para minha irmãzinha


Obrigada Inter, parabéns a todos!

Abraços Colorados!

lunedì, ottobre 04, 2010

Um Certo Verão na Sicília



Sabe aquele livro que não rende, pois é este começou assim, tanto que comecei a le-lo parei, li outro e voltei pra ele. Mas o tédio inicial foi só ilusão, o livro me impressionou, quando realmente começa a narração da personagem principal que conta sua impressionante e inusitada história de amor. Este livro ganhei do meu marido por um motivo especial, moramos na Sicília em 2006 e a leitura seria interessante para recordar o lugar.
Pois bem, o livro é narrado por uma jornalista americana que vai até as montanhas da Sicília, ilha que fica no sul da Itália, para entrevistar Tosca, uma mulher de garra e fibra que comanda uma espécie de refúgio de viúvas. O lugar é lindo e parece estar em outro tempo que não o nosso, e o que ela narra sobre este sentimento de estar em outro tempo, mais precisamente no passado, é exatamente o que algumas regiões sicilianas nos transmite, senti isso na pele e me emocionei ao ler o livro pois o relato dela me levou novamente a Itália, pude sentir o cheiro e o gosto daquele maravilhoso lugar.
Tosca fala de seu romance com um homem mais velho, do amor dos dois e das dificuldades enfrentadas naquela época. Ela nos conta como inciou a máfia siciliana, que existe até hoje camuflada, mas existe! Outra coisa impressionante do livro é o fato de as duas entrevistada e repórter falarem da maneira siciliana de ser, e é exatamente aquilo que percebemos ao morar por tão pouco tempo naquele lugar, o povo é diferente, os valores são fortes, as tradições são fortes, eles amam e se orgulham do que são e não mudariam uma palavra sequer que possa expressa-los, um povo cativante e ao mesmo tempo "casca grossa".
Valeu muito a pena para mim ler este livro e creio que também será para quem desejar le-lo, eu o recomendo mesmo para quem não conhece a Sicília pois a história em sí já é suficientemente boa.



Livro: Um Certo Verão na Sicília (uma história de amor) (272 pg)
Autor: Marlena de Blasi
Editora: Objetiva

giovedì, giugno 17, 2010

Isole Eolie



(No Trem)
Em 19 de maio de 2006 fomos conhecer as ilhas Eólias (Isole Eolie), um arquipélago composto por 7 pequenas ilhas de origem vulcânicas banhadas pelo Mar Tirreno, pertencentes à porvincia de Messina na Sícilia. Na mitologia grega, as ilhas Eólias eram habitadas por Eólo, filho de Poseidon, deus dos ventos (wikipedia).
Cedinho, um trem nos levou de Palermo a Milazzo, lá pegamos um Aliscafo (tipo de embarcação rápida, que faz linha entre ilhas ou cidades litorâneas) e fomos até Lípari a ilha mais habitada e movimentada do Arquipélago.

(Aliscafo)
Em Lípari nos hospedamos em uma pousada muito aconchegante e de bom preço. Deixamos nossas coisas no quarto e fomos conhecer a ilha que tem um comércio vasto, com muita coisa bonita e bastante souvenirs. Andamos um pouco pelas ruas estreitas, maravilhados com a arquitetura do lugar. Nosso plano era ficar hospedado em Lípari e visitar as outras ilhas durate o dia, então fomos a cata de um passeio, contratamos uma pequena viagem de barco tipo escuna (bem menor), para conhecer Salina e Stromboli. Detalhe, não vimos nem sinal de coletes salva-vidas no barco, coisa de primeiro mundo será? Mas sobre esta viagem, conto na próxima postagem. As fotos que mostram um pouco do que relatei.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...